Vamos fazer do Brasil um um país de leitores

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Semana do Folclore

1ª AULA (15/08/2011) – LENDAS
1º) Conversar com os alunos sobre a última semana.
Na semana passada a professora comentou com vocês sobre o Saci, chegou até a apegar um Saci na garrafa, agora vamos conhecer não só a lenda do Saci, mas também muitas outras que fazem parte do Folclore brasileiro.
Primeiro temos que aprender o que é Folclore e qual a sua importância para o povo brasileiro.
2º) Distribuir texto informativo sobre o Folclore
O QUE É FOLCLORE?
A palavra Folclore, segundo o dicionário significa conjunto das tradições, conhecimentos ou crenças populares expressas em provérbios, contos ou canções.
Folclore é tudo que simboliza os hábitos do povo, que foram conservados através do tempo, como conhecimento passado de geração em geração, por meio de lendas, canções, mitos, hábitos (incluindo comidas e festas) , utensílios, brincadeiras, enfeites.
Para conhecermos a história de um povo, de um país ou de uma região do país é importante que conheçamos a sua cultura, suas tradições, ou seja o seu folclore. O folclore é também uma forma de manifestação cultural dos povos.
No Brasil o folclore recebe influências determinante dos povos que aqui já habitavam como os índios, e os que vieram depois como os negros e os brancos.
Desde 1965 , no Brasil, temos um dia oficial para comemoramos as nossas tradições folclóricas: o dia 22 de agosto é o DIA DO FOLCLORE.
Fazem parte do nosso folclore as CANÇÕES DE NINAR que são passadas de pais para filhos, CANTIGAS DE RODA, BRINCADEIRAS, JOGOS, LENDAS E MITOS, SUPERSTIÇÕES, ARTES. Além disso, as DANÇAS TÍPICAS DAS REGIÕES e as FESTAS TÍPICAS como a Festa do Boi (do Boi-bumbá ou Bumba-meu-boi que recebe outros nomes dependendo do estado) as festas juninas, Carnaval, o Maracatu entre outras são todas manifestações do nosso folclore.
OS UTENSÍLIOS USADOS POR NOSSOS ANTEPASSADOS (brancos, negros e índios) para caça, pesca , artesanato e outros, tudo faz parte do folclore.
O Brasil é um país muito grande, por isso cada região do país tem sua tradição folclórica. Algumas vezes o que muda é o nome de uma determinada festa, lenda ou outra tradição, outras vezes uma festa é mais tradicional em uma região do que em outra, assim como comida, música e danças.
NA REGIÃO SUL- Temos as danças típicas conhecidas como congada, chula, entre outras.
Algumas das festas tradicionais desta região são: a festa de Nossa Senhora dos Navegadores; a festa da uva, festa da cerveja, Além das festas juninas e outras que são tradicionais em todo o país.
As lendas mais conhecidas nesta região são: O Negrinho do Pastoreio, O Boitatá, O Curupira, O Saci-pererê, entre outras.
As comidas típicas são o churrasco, o arroz-carreteiro, a feijoada, o chimarrão (bebida feita com erva-mate, tomado em uma cuia)
3º) Ler para os alunos o livro “Folclore e Lendas” da coleção Africanidades.
4º) Atividades em grupo

 
  • Separar a turma em 2 grupos
  • Os grupos receberão lendas, faltando o nome do personagem e outras somente com as figuras. O grupo que conseguir juntar todas adivinhar e escrever o nome dos personagens à sua lenda e à figura primeiro ganha.
  • O grupo vencedor lerá as lendas em voz alta para toda a turma e o grupo que perder terá que “pagar um mico”.


5º) Passar o vídeo do Sítio do Pica-pau Amarelo – episódio em que Pedrinho pega um Saci.


6ª ) Atividade individual
Cada aluno receberá uma folha para pintar e recortar o Saci (Anexo 3). Foi pedido a eles na semana passada que trouxessem uma garrafa pequena transparente (como a garrafinha de água) para quando “prendermos o saci dentro”




7ª) Cartaz com a lendas estudadas.
8ª) Tarefa de casa
Folhinha com o jogo dos 7 erros (Iara) (Anexo 4)
2ª AULA – CANTIGAS,  FESTAS E DANÇAS POPULARES DA REGIÃO SUL
1º) Perguntar aos alunos se eles lembram o que conversamos na aula anterior sobre o que é Folclore? Pedir que comentem sobre o que aprenderam.
2º) Falar um pouco das tradições das festas e danças populares e cantigas de ninar e/ou outras.
Passar no quadro:
As cantigas  de roda, de ninar; as festas e danças populares também fazem parte do Folclore brasileiro. Veja se você reconhece alguns desses títulos.
v  Cantigas de ninar:
ü Boi da cara preta
ü Sapo jururu
ü Dorme neném
v  Cantigas de roda:
ü Atirei o pau no gato
ü A canoa virou
ü A linda rosa juvenil
v  Danças populares
ü Capoeira
ü Chula
ü Frevo
ü Fandango
v  Festas populares
ü Carnaval
ü Fenaostra
ü Festa junina
             E você? Conhece mais algum exemplo? Escreva abaixo mais dois exemplos de cantigas, danças e festas populares.
4ª) Mostrar o livro cantar e dançar, onde tem letras de várias cantigas, convidá-los para cantar

5º) Chamá-los para brincar de roda.
Þ    Atirei o pau no gato (pág. 14)
Þ    A canoa virou (pág. 19)
Þ    A linda Rosa Juvenil (pág. 20)
Deixar que eles escolham mais três cantigas para dançar.
6º) Após o recreio iremos para a sala de estudos da biblioteca para assistir vídeos com algumas danças típicas como capoeira, chula, frevo, fandango e o maracatu, maculelê e samba de roda
7º) Levá-los à sala informatizada para que eles pesquisem a origem e a caracterização de cada dança, depois farão um cartaz com os resultados.
8º) Tarefa de casa:
    Converse com seus pais, avós, tios, vizinhos e pessoas idosas e pergunte do que eles lembram e gostavam das cantigas de roda ou ninar? Como era na época deles?
    Folhinha: Ordene as palavras nas frases – lendas (Anexo 5)
3ª AULA – ADIVINHAS, TRAVA-LINGUAS, PARLENDAS E PROVÉRBIOS
1º) Conversar com os alunos:
Continuando nosso estudo sobre o Folclore brasileiro, hoje iremos falar um pouco de algumas brincadeiras interessantes. Você já ouviu falar em parlendas, trava-língua, provérbios ou ditados populares? Alguém já reparou nas frases que as vezes vêm escritas nos pára-choques de caminhões?
(Pedir para eles darem exemplos)
2º) Escrever no quadro para eles copiarem alguns conceitos antes de trabalharmos a prática.
ü  Parlendas àSão versinhos com temática infantil que são recitados em brincadeiras de crianças. Possuem uma rima fácil e, por isso, são populares entre as crianças. parlendas são antigas e, algumas delas, foram criadas, há décadas. Elas fazem parte do folclore brasileiro, pois representam uma importante tradição cultural do nosso povo.
Exemplo:
Um, dois, feijão com arroz.
Três, quatro, feijão no prato.
Cinco, seis, chegou minha vez
Sete, oito, comer biscoito
Nove, dez, comer pastéis.
ü  Trava-línguas àÉ um conjunto de palavras formando uma frase que seja de difícil articulação em virtude da existência de sons que exijam movimentos seguidos da língua que não são usualmente utilizados. Além de aperfeiçoadores da pronúncia, servem para divertir e provocar disputa entre amigos. São embaraçosos, provocam risos e caçoadas.
Exemplos:
A aranha arranha a rã. A rã não arranha a aranha.
Trazei três pratos de trigo para três tigres tristes comerem.
Casa suja, chão sujo.
ü Provérbios àOs provérbios são ditos populares (frases e expressões) que transmitem conhecimentos comuns sobre a vida. Muitos deles foram criados na antiguidade, porém estão relacionados a aspectos universais da vida, por isso são utilizados até os dias atuais. É muito comum ouvirmos provérbios em situações do cotidiano. Quem nunca ouviu, ao fazer algo rapidamente, que “a pressa é a inimiga da perfeição”.
ü Adivinhas à As adivinhas, também conhecida como adivinhações ou "o que é, o que é" são perguntas em formato de charadas desafiadoras que fazem as pessoas pensar e se divertir.
Exemplo: O que é que é surdo e mudo, mas conta tudo? Resposta: o livro
OBSERVAÇÃO: QUANDO FOR EXPLICAR OS PROVÉRBIOS, COMENTAR SOBRE OS “IMPROVÉRBIOS” ESCRITOS POR JÔ SOARES. PEDIR PARA QUE ELES TENTEM ADIVINHAR A QUAL PROVÉRBIO O AUTOR REESCREVE UM IMPROVÉRBIO. (Anexo 6)
3º) Atividade prática – Brincar com os alunos algumas adivinhações e trava-línguas, pedir também que tentem interpretar alguns provérbios ou dizer em que situações devemos usá-los.
4º) Atividade escrita:
1)      Resolva:
a)    O rei de Roma possuía 20 roupas reais, o rato Riovaldo Ribeiro roeu 3 roupas reais. Quantas roupas reais não foram roídas pelo rato Riovaldo Ribeiro?
b)   Em trigal havia 33 tigres tristes, 17 eram fêmeas. Quantos eram os tigres tristes machos?
2)      Escreva abaixo 3 provérbios que você conhece:
3)      Escreva 2 parlendas:
4)      Escreva 1 trava-língua e depois fale alto para toda a turma;
5)      Escreva 3 adivinhas e desafie um amigo:
4ª) Tarefa de casa
Folhinha – Desafio: decodificar a mensagem onde o resultado é um provérbio popular. (Anexo 7)
4ª AULA – COMIDAS TÍPICAS E ARTES
1º) Passar no quadro para os alunos copiarem:
As comidas típicas também fazem parte do folclore brasileiro, cada região do Brasil apresenta uma comida que é especial, por exemplo, na Bahia, temos Acarajé, em Minas gerais, o pão de queijo, no Rio Grande do Sul o arroz carreteiro. Não é que os outros locais não façam essas comidas, mas a região principal é que tem a tradição. Em Florianópolis, algumas especialidades são:


Þ    Caldo de peixe e de feijão para o pirão (origem açoriana)
Þ    Tainha (escalada, frita, assada, ensopada)
Þ    Pirão de água com lingüiça
Þ    Banana frita na banha de porco
Þ    Fritada de berbigão, de ostra
Þ    Rosca de polvilho
Þ    Biju
Þ    Cuscuz

2º) Comentar com os alunos que as receitas são também um gênero textual, e também possui uma estrutura, características próprias, da mesma forma que possuem as poesias, os contos, as fábulas etc.
3º) Distribuir folhinha sobre o gênero textual: receita
GÊNERO TEXTUAL: RECEITA
A receita é um gênero textual que apresenta duas partes bem definidas – ingredientes e modo de fazer -, que podem ou não vir indicadas por títulos. A primeira parte apenas relaciona os ingredientes, estipulando as quantidades necessárias, indicadas em gramas, xícaras, colheres, pitadas, etc.
No modo de fazer, os verbos se apresentam quase sempre no modo imperativo (o modo verbal que expressa ordem, conselho, etc.), pois essa parte indica, passo a passo, a seqüência dos procedimentos e da junção dos ingredientes a ser seguida para se obter o melhor resultado da receita
Uma receita pode apresentar outras informações, como grau de dificuldade, tempo médio de preparo, rendimento, calorias, etc. Pode, ainda, conter dicas para decoração ou para variações.
Receita de bolinho de chuva
Ingredientes
·         2 xícaras (de chá) de farinha de trigo
·         3 colheres (de chá) de fermento em pó
·         ½ colher (de chá) de sal
·         1 ovo inteiro bem batido
·         ⅔ copo de leite
·         Óleo para fritar
·         Açúcar e canela para enfeitar

Modo de fazer
Misture tudo numa tigela. Depois vá pondo às colheradas no óleo bem quente para fritar. Quando dourarem, retire, escorra e passe em uma mistura de açúcar e canela.
4ª) Atividade individual:
Distribuir para os alunos uma receita (anexo 9) de nega maluca, ler com eles, depois pedir para que eles respondam algumas perguntas oralmente:
Þ    Quais os ingredientes em comum para a massa e para a cobertura? Açúcar e chocolate em pó.
Þ    Para fazer essa receita precisam de quantos ovos? 3 ovos
Þ    Quais os quatro ingredientes que colocamos primeiro para fazer a massa do bolo?
Þ    Quanto tempo ele precisa ficar no forno?
5º) Após o recreio vamos falar um pouco da Arte tradicional catarinense (fuxico, pão-por-deus, bilro)
6º) Ler para os alunos a história da tradição por pão-por-Deus. Fazer com eles alguns. (A Maria da biblioteca virá até a sala para mostrar para eles como se faz um.) e pedir para que eles escolham um dos versinhos (Anexo 10) que a professora irá escrever no quadro ou que invente um.
v  Texto para ser lido:
Em Portugal, no dia de Todos-os-Santos, 1º de novembro as crianças saem à rua e juntam-se em pequenos bandos para pedir o pão-por-deus de porta em porta. As crianças quando pedem o pão-por-deus recitam versos e recebem como oferenda: pão, broas, bolos, romãs e frutos secos, nozes, amêndoas,ou castanhas que colocam dentro dos seus sacos de pano, de retalhos ou de borlas. É também costume em algumas regiões os padrinhos oferecerem um bolo, o Santoro. Em algumas povoações chama-se a este dia o ‘Dia dos Bolinhos’. São vários os versos para pedir o pão por deus. A quem lhes recusa o pão-por-deus roga-se uma praga em verso:
Com o passar do Tempo, o Pão-por-Deus sofreu algumas alterações, os meninos que batem de porta em porta podem receber dinheiro ou chocolates. Esta atividade é principalmente realizada nos arredores de Lisboa, relembrando o que aconteceu no dia 1 de Novembro de 1755, quando do terremoto de Lisboa, em que as pessoas que viram todos os seus bens serem destruidos na catástrofe, tiveram que pedir "pão-por-deus" nas localidades que não tinham sofrido danos.
No Brasil
Este é um costume de origem portuguesa mas ocorre em ambos os lados do Oceano Atlântico. Tanto em Juncal em Portugal, como na FESTILHA, que resgata as tradições na Ilha de São Francisco do Sul, estado de Santa Catarina, Brasil.

Na FESTILHA, o pão-por Deus é pedido através de uma figura feita de recorte de papel acetinado, geralmente um coração, de quatro faces que se justapõem quando dobrados, ficando a cor branca por dentro, e por fora a cor azul, vermelha ou amarela. Suas bordas tem uma pequena franja rendilhada. Na face branca, interna, estão escritas uma ou duas quadrinhas nas quais se pede a dádiva, como esta.

5º) Tarefa de casa

1)      Trazer por escrito uma receita da mãe ou do pai (lembrando de toda a estrutura deste gênero).
5ª AULA – BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS
1º) Fazer uma recapitulação com os alunos sobre o que estudamos esta semana. Informá-los que nesta aula o tema será brinquedos e brincadeiras.
2º) Texto informativo para introduzir o assunto (para eles escreverem do quadro).
Além dos contos, danças, festas e lendas, o folclore brasileiro é marcado pelas tradicionais brincadeiras. As brincadeiras folclóricas são aquelas que passam de geração para geração. Muitas delas existem há décadas ou até séculos. Costumam sofrer modificações de acordo com a região e a época, porém, a essência das brincadeiras continua a mesma da origem.
A preservação destas brincadeiras é muito importante para a manutenção da cultura folclórica. Por isso, são muito praticadas, principalmente, durante o mês de agosto que é destinado ao folclore.
v  Jogos, brincadeiras e brinquedos do folclore:
Þ    Soltar pipa,
Þ    Estilingue,
Þ    Pega-pega,
Þ    Esconde-esconde,
Þ    Bola de gude,
Þ    Boneca de pano,
Þ    Pião,
Þ    Amarelinha,
Þ    Pular corda,
Þ    Bandeirinha, peteca, carrinho de role-mão
Þ    Ioiô
Þ    Taco
Þ    Cabra-cega
Þ    Brincar de roda

3ª) Confecção de bilboquê.
4ª) Sala Informatizada: Pesquisar na Internet a origem e características das brincadeiras citadas no texto anterior.
5ª) Aula de Educação Física: Brincadeiras e brinquedos tradicionais
Os alunos brincarão de bandeirinha, pular corda, elástico, peteca, perna de pau, roda, bola de gude, pião, galinha choca e amarelinha


















2 comentários:

  1. Gabriel e Anderson21 de outubro de 2011 11:51

    professora adorei o blog, muito legal!
    eu e o Gabriel adoranmos o blog.

    ResponderExcluir
  2. Amei o seu blog, peguei sua postagem sobre Pão-por-Deus, e creditei...
    Obrigada

    ResponderExcluir